João do Banjo

"Eu vou pra lá/Eu vou pra lá/Eu não quero ir sozinho/A Praia de Manguinhos é praia de estimação/Ela só fica alegre com a presença do João/ João, ele é muito bão/ Ele é um gatão.

A letra dessa música é uma das oito que já estão prontas e fazem parte do repertório-homenagem às 23 praias buzianas do próprio João Gatão, ou melhor, o João do Banjo, ou ainda, João José Quintanilha, 83 anos, que percorre a cidade de dia em busca de um bate-papo com amigos e, à noite, a Rua das Pedras onde canta em prosa & verso para turistas.

Nascido na própria praia de Manguinhos onde trabalhou na roça dos arredores, fez sua primeira violinha aos 15 anos, usando como corda as crinas de um cavalo do pai chamado Escuro e, a madeira fina de um caixote de sabão para fazer a caixa do instrumento, coisas que "aprendeu de idéia, sozinho".

Fez a primeira e muitas outras para colegas que "gostavam de arranhar música", mas depois trocou a viola pelo cavaquinho, o cavaquinho por um bandolim e, finalmente, o bandolim por um banjo que lhe deu o apelido de João do Banjo.

Ano passado ficou meses sem tocar e compor, triste pela morte da mulher Amélia, que morreu justamente no dia do seu aniversário (24 de junho): - foi então que cismei em fazer música & letra para cada uma das 23 praias buzianas. Já fiz oito e só espero ter saúde para fazer as 15 que restam - comenta João do Banjo, enquanto improvisa mais um acorde.