Música & Músicos

Bruce Henry nasceu em New York, criou-se em Madri e curtiu música em Búzios

Bruce & contrabaixo


Nova-iorquino de Spring Valley, próximo a Manhattan, mas criado na capital espanhola de Madri, Bruce Henry chegou ao Rio de Janeiro com 16 anos de idade, onde completou seus estudos básicos e ingressou numa faculdade de Economia. Como desde os 14 anos sua vocação não eram os números, mas as notas, virou músico profissional, ou melhor um contrabaixista, cantor e compositor carioca-buziano.

Cinqüentão que se recusa a dizer em que ano nasceu porque "isso não tem a menor importância", Bruce considera-se um autodidata desde os 14 anos quando começou animando bailes na capital espanhola tocando baixo elétrico na banda "Los Finks", instrumento que trocaria depois por um contrabaixo acústico. Já no Rio de Janeiro, morou no bairro de Copacabana, vivendo a efervescência musical carioca dos anos 70 e o início da era de badalação do balneário de Búzios, cidade que visitou pela primeira vez em 1971 e onde passou a morar três anos depois.

Seu primeiro pouso foi a mini-pousada Repouso do Guerreiro, com apenas seis quartos, que ficava na ainda pacata Rua das Pedras ao lado da qual construía, quatro anos depois, sua Pousada Estalagem, palco de grandes e memoráveis jazz-sessions, dele e de seus amigos que ali se hospedavam e se apresentavam. Foi nessa época buziana que se casou e teve dois filhos - Tiago, hoje engenheiro de 24 anos e Paula, 19, estudante de botânica.

Bruce Henry fez da Estalagem um dos points musicais mais badalados da cidade, mesmo quando deixou de morar em Búzios para voltar ao Rio de Janeiro, tocar na noite carioca e participar de gravações ou shows de artistas como Johnny Alf, Emílio Santiago, Tom Jobim, Joyce, Quarteto em Cy, Gal Costa, Marcos Valle, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Ney Matogrosso, Leila Pinheiro e muitos outros.

Bruce no Galápagos Inn

Bruce gravou três CDs - Bruce Henry, Equatorial Blues, Búzios Live - e fez várias turnês pelos Estados Unidos e Europa, participando, também, do Festival de Jazz de Montreux. Em 1997, idealizou o show Jungle Tap, em dupla com o sapateador norte-americano Steven Harper, um espetáculo de "contrabaixo e par de sapateado" que mistura música e bom humor (visite o site www.stop.to/brucehenry e "veja" este show).

Suas raízes com Búzios e sua imagem na cidade são tão fortes que ninguém acredita que ele tenha deixado de morar por lá nos anos 80. Também pudera, vira-e-mexe você passa por uma casa amiga, um bar, um hotel ou pousada e lá está ele, Bruce Henry, com seu contrabaixo cantando com sua voz rouca e sensual clássicos da música norteamericana.

Se isso acontecer, não hesite: pare e curta o som do eterno buziano Bruce Henry.