Gourmet

Beth Jensen

Viaje com a Beth pelo mundo comendo magret canard ou marreco Pequim a beira mar

Neta de dinamarquês com suiça, nascida na cidade catarinense de Joaçaba há 51 anos, com sobrenome de rua importante, Elizabeth Jensen, ou melhor Beth, é a maior bandeira, não só porque nasceu a 19 de novembro, Dia da Bandeira, mas também pelos seus quase 1m80m de altura e sua maneira extrovertida e alegre de ser.

Isso pode ser conferido no Bar & Restaurante 77 montado a beira mar há três anos na antiga casa de Dona Janica, 94 anos, a de número 77 da Aldeia de Geribá, uma das que restaram da origem da cidade de Búzios.

Filha de veterinário do Exército, Beth veio com um ano para o Rio de Janeiro e não parou mais de viajar: primeiro, com o pai militar com quem morou em 25 cidades diferentes e, depois, com mochila e 47 anos nas costas, quando já separada do marido (jornalista Oscar Eurico) jogou tudo para o alto e passou um ano no mundo.

Bem, mas antes ela fez muito mais coisas. Formou-se em Psicologia, História e Jornalismo; trabalhou no marketing da TV Globo com "el bujo" Homero Sanchez; teve a loja Marca, de objetos criativos como bonecas de pano; casou-se; mudou-se para Búzios com o marido (os filhos não vieram porque não queriam ser surfistas); foi diretora da extinta TV Búzios e financiou um inusitado projeto: a construção de uma traineira de 18 metros de comprimento, seis toneladas e motor turbinado BMW de triste história.

-Quando chegamos a Búzios para morar em 1989, conhecemos o velho pescador Branco ("pai do Toninho, mas isso não vem ao caso") e o convencemos a sair do Mar Alto para gerenciar a construção do barco. Ele topou, colocou o Mestre Branco no mar, mas nunca foi pescar nele porque uma doença renal o obrigava a hemodiálises periódicas. O barco Mestre Branco me deu muitos prejuízos, passou por vários pescadores, fez turismo e "afundou" na minha lembrança - conta pesarosa.

Separada do marido, sem barco, sem rumo certo, Beth resolveu "abandonar mais uma vez" os filhos adolescentes que sempre tiveram muita independência e foi percorrer a Europa, hospedando-se em casas de estrangeiros conhecidos em Búzios.

Seu roteiro de um ano dá inveja a globetrotter. Vai de Veneza e Grécia ao Caminho de Santiago da Compostela que fez no sentido contrário ao tradicional (tinha que ser, né?). Em cidades como Capri, Algarves e St. Tropez trabalhou na cozinha, graças ao talento pelos pratos e temperos herdado das avós.

Reprodução

Daí, na volta, o Bar & Restaurante 77, no canto esquerdo da praia de Geribá, que recebeu o nome não só pelo número da casa que comprou de Dona Janica, mas por virar um set de filmagem dos assíduos freqüentadores cineastas, a começar pelo filho Alex Alexandro (30) que é fotógrafo (o outro, Claude André, 27, é engenheiro).

O cardápio tem muito a ver com as viagens de sua dona e vai do couscous com camarão e da lagosta grelhada, ao cordeiro recheado de alho, Magret canard, marreco Pequim, peixes e polvo. Neste Verão Búzios 2001, o "77" vai funcionar 24h.

Telefone (24-623-2626) e reserve lugar: as histórias da Beth estão incluídas no preço!