Cinema

 

Personagem

Foto by Sergio Fleury

Mário Paz curte no Gran Cine Bardot filmes que viu no Gran Cine Urquiza

Aos cinco anos de idade ele já freqüentava o Gran Cine Urquiza, na cidade argentina de Rosário, uma sala pequena perto de casa que exibia três filmes por dia. Assim fez amizade com o bilheteiro que o permitiu assistir a filmes impróprios como "Il Sorpaso" (Vittorio Gasmann), todos do John Ford, Luchinno Visconti, Dino Risi e até o inesquecível e incrível Dr. No., do seu ídolo James Bond.

Aos 49 anos, Mario José Paz continua gostando tanto de cinema a ponto de dormir de vez em quando com os filhos no palco do seu Gran Cine Bardot, na Travessa dos Pescadores, construído com muito pioneirismo e determinação ao lado de sua pousada Vila do Mar, onde promove desde 1994, o badalado Cine Búzios Festival, agora na sétima edição..

Argentino formado em advocacia, decidiu curtir a juventude antes de se dedicar a uma profissão. Com 15 mil dólares no bolso partiu para uma temporada européia em Ibiza, Marbella e St. Tropez, onde viveu a "doce loucura dos anos 70".

Mas antes de chegar por aqui viveu grandes aventuras, a primeira quando curtia Roma, o dinheiro acabou e foi obrigado a procurar emprego: - aceitei um de mordomo da família do professor Bandini, cirurgião romano chamado de o "bisturi de diamante". Dirigia sua "máquina Alfa Romeo", mas a vida de mordomo só durou um mês porque um amigo rico o levou de volta à farra, em Capri, e depois, de carona, pela França, Alemanha e Inglaterra - recorda.

Mas aí o dinheiro acabou, a farra minguou e, de volta à cidade natal de Rosário tentou advogar, casou-se com Marcela, separou-se em oito meses e aceitou convite do amigo Manolo Moluari para visitar sua Pousada Saravá, em Búzios.

- Minha programação era ficar apenas dez dias. Cheguei dia 17 de agosto de 1978, tinha 27 anos. Gostei tanto que retornei a Rosário, vendi um apartamento, voltei para Búzios e comecei a montar minha "Vila do Mar". E recomecei, também, minha vida sentimental ao me recasar com Marcela, viver juntos cinco meses e ter com ela minha filha Roberta (18 anos). De novo solteiro, reencontrei a namorada Luciana, me casei com ela e fui morar no Rio onde virei ator - conta sem fôlego.

Como ator formado pelo CAL (Centro de Artes Laranjeiras), Mário trabalhou na mini-série "A máfia no Brasil" (TV Globo), na novela "Triângulo das Águas" (contracenou com Marcos Palmeira), na peça de teatro "Pixote" e, ainda, no clássico dirigido por Amir Haddad "Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come". Foi como ator que conheceu há 14 anos sua atual mulher Ana com quem tem os filhos Miguel (12 anos), Francisco (8) e Manuela (5), os que dormem com ele no palco do cinema.

Na verdade, a história do Gran Cine Bardot começa lá na infância apaixonada por filmes e se concretizou na conversa com o arquiteto Pablo Benetti, do Estação Botafogo (Rio) ao perguntar porque não construía um cinema ao lado de sua pousada.

Com a idéia na cabeça e o projeto na mão, ele bateu de porta em porta, pediu ajuda aos amigos, encontrou gente que deu força e, finalmente, no dia 17 de março de 1994 o Gran Cine Bardot abria oficialmente com o filme "Manhattam", de Woody Allen, o 1º Cine Festival de Búzios com o slogan "Cinema é a nossa praia" (até agora foram nove edições).

- Um sonho dos tempos do Gran Cine Urquiza, onde comecei minha formação humana, mista de solidão e amor - conta emocionado o sempre menino Mário.

I Cine Festival (1994)
IX Cine Festival (2002)